Melhores amigos de infância

Foi tudo sensacional como há muito não era. Inesperado também. Engraçado: eu tenho essa queda pelo inesperado. Quando algo me pega desprevenida, tendo a gostar muito mais. Às vezes, mais até do que deveria. Hoje eu não estou preocupada com o quanto devo ou não gostar: hoje eu apenas fui feliz. E nada sei sobre isso.

Só sei que eu estava lá, ele também: e uma amiga. Aí vieram a capirinha, a garçonete gostosa, a Bettie Page, as visões começaram a se embaralhar, a verdade foi dita num tom mais alto… E o silêncio constrangedor (não tão constrangedor assim) soou melhor do que qualquer música soaria.

No mais, hoje entendo alguns amigos e me sinto mal por ter batido neles tantas vezes, ou ter lhes tomado o celular quando o álcool começava a pedir licença e correr atrás de seus amores. Deixa mandar, deixa dizer o que é preciso. Nessas horas é que muitas coisas se resolvem. (O que não significa necessariamente que darão certo, é fato!)

A propósito, eu ainda volto lá pra ver Bettie Page de novo. E contar segredinhos, presenciar DRs, rir à beça, ficar fedendo ao cigarro alheio, beber um pouco a mais e dizer à garçonete o que me deu vontade de dizer… Só não volto lá pra me humilhar de novo.

Como o tempo passa: ontem eu não sabia o que prestar no vestibular. Hoje estou no segundo ano de duas faculdades. Duas… Apaixonada pelas duas. Ontem eu era fria e não me apegava a ninguém: hoje tenho amigos. Ontem eu sofria calada, hoje, embora o sofrimento seja outro, não tenho medo de gritar pro mundo. É! EU AMEI, EU FUI INFELIZ! Viro uma ou mais duas doses, trago o cigarro alheio, beijo a primeira boca que se insinuar pra mim e vou levando. A vida é isso, um cai-levanta dos infernos. Baixo astral – ou não.

Eu estou vivendo, finalmente. E se alguém tiver de me censurar por isso, sou eu. Mas hoje não, hoje estou feliz.

A propósito, caso você esteja lendo isso… Nem sempre o que dizemos se parece conosco.

Agora eu vou dormir. Labor uocat me.

AHHH! Esse é o post 600 do lovemaltine. 😀

Good news for people who love bad news

"Satanás! Aonde está você, Satanáááás???"
"Satanás! Aonde está você, Satanáááás???"


Como esse blog anda muito baixo astral, vim dar uma boa notícia: A taquara rachada Bruxa do 71 minha maravilhosa professora de Língua Portuguesa resolveu finalmente aceitar meu aproveitamento de estudos e eu não tenho mais a primeira aula às segundas feiras à noite. Não é lindo? (ok, não é nada demais, mas porra, uma prova a menos todo bimestre!)

(Em tempo: Ainda bem que ela me liberou antes de descobrir que era eu cantando a la Pato Donald ontem. Cismou que era alguém imitando a voz dela! Pelo menos a bonita tem noção da voz que tem. 8D~)
A propósito, vou deixar aqui algo que ela nos questionou e que realmente mudou a minha vida. Para reflexão:

O que seria da Branca de Neve sem a maçã?

Er … não, não vou colocar minha opinião aqui. Mas tô perdendo muito de não ter essas aulas, hein? Afinal, como diz nossa Dona Clotilde particular adorada mestra, “Jornalista precisa exercitar o espírito crítico-reflexivo“. E onde mais terei propostas de reflexão como essa?