smells like naftalina

e saudade é coisa que cutuca, cutuca, cutuca, e parece que nunca vai embora…
(as coisas mudam com o tempo!) 

 

impressão minha ou o tempo tem passado rápido demais?

 

 

poléxia; eu te amo, porra!

S.O.S

Pelo título, já deu pra notar que isso é um pedido de socorro. Sim, é sim. É que eu preciso de férias urgentemente. Não tô pedindo férias no Caribe, em Paris, nem no raio que o parta. Não tô pedindo nada demais, só tempo pra ficar na minha casa, deitadinha, sem ter que pensar em trabalhar. Eu quero emagrecer 30kg em um mês, dormir na rede, ler só o que me dá prazer, escrever quando a inspiração vier, violão, amigos, eu quero um pouco de paz pra minha cabeça. Sabe? Me trancar no meu quarto, num mundo onde não existe Mulher Melancia (ou Jaca, Melão, Morango, Abacaxi, qualquer fruta!), provas, crise econômica, pendências, Jonas Brothers, dívidas, doenças sem cura ou afins. Onde eu possa sentir as coisas sem culpa. Acho que essas seriam as férias mais sensacionais do mundo. Infelizmente, só chegarão no Natal – e provavelmente serão bem diferentes do que eu estou planejando.

Anyways, o dia hoje até que não trouxe novidades de todo ruins. Apesar da minha enxaqueca DESCOMUNAL (acho que é sinusite, oi?) e do trabalho feito corrido e nas coxas, eu passei no exame prático do Detran. E, bom, a aula do @samadeu foi incrível, como sempre. Eu juro, se eu pudesse, largava tudo pra me dedicar única e exclusivamente às aulas de Teoria da Comunicação. Infelizmente, faço duas faculdades e não estou dando conta nem de meia. Ok, ok. TVP. Ano que vem taí e consertarei essas burradas que fiz esse ano.

Ah! Lembrei. A novidade legal é que o Vitroleiros.Org já tá no ar! É verdade que é em fase beta e tudo mais, mas tá lá! Vão dar uma olhada! Aliás, quem quiser contrubuir com fotos, textos ou links, FALAÍ! Eu converso e a gente acerta rapidinho! 😉

Por último, só um aviso: Amanhã (hoje), às 18h, tem #flashmob contra a lei do Azeredo, lá no Canteiro Central da Paulista, 900. Farei o possível e o impossível pra ir. Tudo depende do meu trabalho de Sociologia. Compareçam, queridos! Vale a pena!

 

Enfim, CORRÃO EU VOU SURTAR, QUERO FÉRIAAAAAAAAAASSSS

Delírios e Bizarrices

Acordei com o celular tocando às 4h20 da manhã. Basicamente aquilo que tive vontade de fazer ontem e não fiz. Foi meio que uma troca, ou até mesmo um compartilhamento. O sonho veio aqui ontem, foi lá hoje. Ambos tivemos a mesma sensação – ou não. Só sei que essas coisas me dão medo. Mas eu acho engraçado como tudo tem acontecido. A vida é engraçada, até quando é surreal. Alguém que nunca vi como se tivesse visto mais do que deveria. E vice versa. Ou não. E, só pra constar, não macumbei ninguém. É, no máximo, sintonia mesmo.

 

(Sabe o que me deixa feliz? Bem ou mal, eu existo pra ele tanto quanto ele pra mim. É tão ruim quando a existência se limita a um dos lados… Aliás, não é que seja ruim, é que, quando é de um lado só, simplesmente não é. É isso: não é.)

Bizarrices e delírios

Eu entrei numa lanchonete e você estava lá, depois de tanto tempo, depois de tanta espera. Entre o acreditar ou não, corri em sua direção, enquanto você, já de braços abertos, sorria pra mim. O seu sorriso, que eu mal sei como é de verdade – já que poucas vezes vi – estava ali, claro, sincero, nem um pouco escondido como da última vez em que te vi pela pequena telinha do computador. Aquilo não era apenas uma imagem, não era webcam. Era real. Quando me abraçou, ainda sorrindo, encostei meus lábios nos seus, de leve, e deixei um beijo no cantinho direito. Saí, rápido, daquela posição tentadora, enquanto você me dizia “Não…”, com um sorriso sem graça de quem queria e não queria aquilo o suficiente para nem ter visto que eu já não estava mais ali. Hesitava entre me tocar ou não. “Não se preocupe, não tenho intenção nenhuma com você, só precisava fazer isso, precisava tocar seus lábios assim. Não pude controlar” – respondi sem graça, ainda pensando na bobagem que havia feito. Abracei-o de novo e nos sentamos pra conversar. É, como eu gosto de conversar contigo, sempre gostei! Passamos grande parte do tempo ali, rindo, trocando piadas, segredos, dúvidas e respostas que tínhamos um sobre o outro. Eu me lembro de pessoas ao redor tentando interferir, lembro de tudo começando a ficar mais escuro, devagar. Lembro da sua promessa de que sempre estaria do outro lado pra cuidar de mim. Lembro de nós dois andando pelas ruas, sentidos opostos, sem pararmos de conversar. Mas depois, não lembro de mais nada. Aliás, lembro de uma escuridão assustadora e de você longe, bem longe. Sem que eu pudesse fazer nada pra mudar. Eu não lembro do fim. Acho que não houve fim. Talvez isso seja bom, talvez signifique que, não importa a distância, esse amor e essa amizade não irão acabar.

Sexxxta-feira!

 

 

 

 

Dia de correr com o projeto (deadline é segunda, oi?), tem ensaio aqui em casa mais tarde, à noite tem “luau” na casa da Tory, e eu ainda tenho vinte mil trabalhos pra entregar segunda-feira! Nem ligo!
Tô aqui susse na correria. Enquanto eu tô por aí entoando meu mantra (TVP TVP TVP!!!!) assistam o vídeo e vão procurar o que fazer (mentirinha, adoro todo mundo! haha).
 

(Sensacional, man!)

Beijão.

Sobre ideologias e picaretagem

 

 

 

 

 

Didn’t teach me how to love
They say they have their reasons
All coming from above
You can forget the seasons inside your factory
There’s one thing they can’t teach you is how to feel free
And stand alone in a beautiful world
We have to respond…
Schools are prisons
Forget the seasons

Schools are prisons
Schools are one of the reasons for this waste of the spring
And where to begin 
Outside or within
It took the best years of my life
And made it so I couldn’t decide

Statistic as in prisons
Statistic as in life

Schools Are Prisons, Sex Pistols

 

Beatniks, Hippies, Punks, Grunges e alguns minutos de discussão depois… 

“Parabéns, meninos, aprendi muito hoje. Deram aula melhor que eu!”

Valeram a correria,  o estudo, a dedicação e até alguns dos infortúnios, sinceramente. É verdade que ouvir isso de alguém que dá aulas baseado na wikipédia  costuma ser bem crítico nem foi tão legal assim mm1…

 

NOT!!! :B foi sim. loko

OK , OK, Voltarei ao trabalho. As coisas estão correndo bem, sim… Bem! =)

Logo menos eu volto pra contar a história, com direito a novidades! :B

 

ps: Saudades incríveis da minha Florzinha. É, a correria não me dá tempo nem pra ver meus amores.

Terapia do Riso

 

 

 

 

 

22h40 – ligação inesperada de um Guerrero faminto

Quarterão depois das dez
desabafos e piadas

conversa sóbria
gargalhadas no sofá

coca-cola inacabada
trilha sonora de banheiro

dividindo guarda-chuva
terminal Lapa indo embora
 

o terno adeus:

não obrigação, prazer, somente.

 

Ela tem um amigo!

(quem cuida de quem?)

 

Indaiatuba ou Irlanda, há o silêncio das saudades antecipadas,
(que tal desligar o relógio, esquecer dos problemas?)

(é que um “vamos aproveitar ao máximo nosso fim de ano”
nunca soou tão decisivo.)

o fim…

o fim é SEMPRE decisivo.
mesmo para um indeciso tão perdido no mundo.

aaaaaaaaai como eu amo.

Estive pensando…

 

 

 

…no quanto me afastei das pessoas de que gosto, ou mesmo no quanto abri mão do que gostaria várias vezes esse ano simplesmente por ter obrigações que eu não sei se queria mesmo ter.

Isso me fez tomar várias decisões que não colocarei aqui, mas que vão mudar muito na minha vida.

 

Se você for importante pra mim, verá de perto. Senão, saberá só de entrelinhas, como sempre aconteceu com os leitores desse humilde blog.

 

 

:* fui ali viver e já volto.

Ou não.

A arte de vitimizar

Eu comento amanhã, que hoje já fui vilã o suficiente. Respondo amanhã também, que paciência tem limites e os meus eu já esgotei – e minha sinceridade, nessas horas, fica cruel.

 

É, amanhã, amanhã. Amanhã talvez tudo se acerte. Talvez não. Mas, realmente, essa foi a gota d’água.
Acontece. Sempre acontece. 
E até que demorou.

Todo mundo entoando o mantra:
TVP!!!!

Domingo

 

 

horáriodeverãoinsegurançaskinheadsameaçasmedo
amigosmercadomundomixtorcidaorganizadaorgastic
fotosrisadasmicosmedometrôcasatccsonodormi.