Ariane-por-Ariane

Ariane Freitas, 18 anos, Paulista.

Sérios problemas para se relacionar com outras pessoas, idéias (nem sempre) brilhantes, às vezes abafadas pelo corre-corre que escolheu para seu dia-a-dia. Estudante de jornalismo e letras, geek em potencial, 24 horas online. Não sai de casa sem delineador, celular, câmera e notebook. Não consegue fazer nada antes de abrir o e-mail (às vezes, por conseqüência, nem depois). Respira música e internet. Já se arriscou a um pouquinho de tudo: teatro, guitarra, vocais aleatórios, fotografia… Parou para estudar e agora está reavendo tudo aos poucos. Aos poucos. Vida social até então nula. Nula. Caseira, em potencial. Desde pequena. Chocolate, café, canela, edredom, filmes, coca-cola, coisas que são sempre bem vindas, mas quase nunca possíveis devido ao dia a dia agitado, ela ama de paixão. Blogueira desde sempre inconstante. Perdeu a conta de quantos domínios já teve e nem se arrisca a chutar quantos ainda terá. “Se eu enjôo, se já não me resume mais, se não destaca mais meu momento, eu mudo mesmo. Quem for [leitor] realmente assíduo vai, com certeza, descobrir o novo rapidinho”. Extremamente confessional. Sem medo de ser feliz. Aliás, correndo atrás disso o tempo inteiro. Bocuda. Não mede palavras nem esforços. Exerce a sinceridade sempre – o que às vezes não é qualidade. Nutre paixão inexplicável por carecas tatuados e uma atração não menos estranha por baixistas e bateristas aleatórios. Sonhos, sonhos, sonhos, sempre traz um atrás do outro. E não. Isso não a torna nem um pouco entusiasta quando se trata da vida. “Pessimismo, niilismo… Isso ajuda. Tudo pode dar errado, sempre. Então por que esperar pelo certo? Esperar pelo errado é bem menos decepcionante”. A maior existencialista dos últimos tempos. Altas doses de euforia e toda aquela coisa que precede a depressão: Clímax. Uma risada que não pode ser classificada como algo menos que contagiante. Digna de ser dona de um talk-show: derrubaria Márcia Goldschmidt do trono; facinho, facinho. Não ajuda ninguém antes de mandar cair na real. Não passa vontade; mas também não sai por aí fazendo besteira. Já amou muito e de verdade (dizem as más línguas que ainda ama!), mas nunca foi correspondida em seus quase 8 anos de devoção. Agora tem por princípio e costume se deixar amar. Verdade que não funciona muito: no fim, acaba sendo platônica e escolhendo sempre alguém que não terá. “E é pra não ter mesmo. Não sei. Eu idealizo as pessoas. Ao me relacionar, as ilusões acabam, todo ser humano é falho. Eu prefiro não arriscar”. Não pretende casar, não pretende ter filhos, “só uma vida solitária numa casa só minha, onde eu possa investir apenas em livros, cds, instrumentos e tecnologia – é tudo de que gosto, tudo de que preciso”.


2 thoughts on “Ariane-por-Ariane

  • Reply LUCAS LACAZ RUIZ / A13 8 de agosto de 2009 at 10:22 am

    Ariane estou me arriscando por estes labirintos eletronicos da internet , no pricipio era somente o e-mail … hoje ja tenho MSN , SKYPE , FLICKR e TWITTER …alem da minha carteira de indentidade e minha maquina fotografica ! Te achei ou te descobri aqui … mas adoraria os velhor e bons tempos de um e-mail telefone etc ! Não sou nem careca nem tatuado , nem sei tocar instrumento algum … mas adorei voce sua descrição e este universo de descobertas ! Sejamos felizes !

    ai vai meu mail e o meu MSN ruizlacaz@hotmail.com SKYPE ruizlacaz

    boa semana tecnologica !

  • Reply rhob 9 de outubro de 2009 at 1:01 am

    Deves concordar que o Lucas aí em cima teria alguma chance, caso não tivesse escrito “indentidade”… =P

    Btw, sou primo do cidadão q vomitou pelo nariz… HAHAHA

    Blog legalzinho. =)

    @rhobsonv

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *