Reviravoltas

A vida inteira eu disse para mim e para os outros, me referindo a todas as áreas da vida: “se está insatisfeito, mude!”. E eu mudava. A vida inteira eu acreditei que a conversa pudesse resolver as coisas, que a cumplicidade fosse algo natural. E eu falava. Ouvia. Não é como se minha vida tenha sido muito longa, nem que eu tenha vivido muitas experiências. Mas ultimamente, toda vez que me vejo perdida como agora, quando mudar não é uma opção porque meu coração e meu corpo não querem, eu gostaria de ao menos resolver as coisas. E aí descobri que conversar nem sempre resolve. Porque um diálogo envolve duas partes – e existem situações em que o outro lado é mais intransponível que paredes de adamantium.

Nessas horas sinto que a vida inteira eu fui uma fraude. Comigo mesma, o que é pior ainda.

Um comentário em “Reviravoltas”

  1. Oi Ariane, não precisa se sentir assim, por muitas vezes somos obrigados a perceber que as coisas fazem parte de realidades diferentes do que podemos nos esforçar ao máximo para conseguir. Neste caso, você percebeu que não depende somente de um ser e sim de duas partes e nem sempre uma quer contribuir, mas você ainda é livre e tem pensamentos elevados. Vejo pelos seus postes que você é maravilhosa e não uma fraude, fica tranquila que isso faz parte do amadurecimento, não no sentido de crescendo, e sim percebendo que as coisas depende muito também da ação/reação em ambiente. Tô meio louca hoje, mas espero que entenda! adoro muito seu espaço… beijos Gi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *