Porto seguro

É sempre assim. Eu vou levando, sem fingir que está tudo bem, mas sem botar pra fora tudo que me incomoda. E aí, num dia qualquer, quando algo me fere demais, eu bebo. E falo tudo – do jeito errado, pras pessoas erradas. É difícil me controlar, talvez por isso eu faça tanta questão de não sair. Em casa, sozinha, tudo se mantém sob controle. Não é que eu não fique mal – apenas que o ambiente não me permite fazer bobagens demais. Dificilmente acordo com remorso.

Na rua não. Toda vez que eu saio na rua, volto mais arrependida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *