bilhete

felicidade,

passei muito tempo me culpando pelos nossos desencontros.

a verdade é que sonhar com você sempre foi o que me manteve nos trilhos, o que alimentou minha esperança. até quando eu era pessimista ou não fazia ideia do rumo que as coisas tomariam, de alguma forma meu inconsciente dizia que nos encontraríamos no final, para uma última rodada.

e eu me culpei pela sua ausência, chorei e estraguei músicas, poemas, livros, fotografias minhas e alheias, cenários da cidade.

tudo porque nunca me senti tão viva como nesses momentos em que você se aproximou e me pegou pelas mãos.

e talvez eu não tenha demonstrado gratidão suficiente – mas a verdade é que essa relação só é incrível exatamente por isso: porque nunca sei quando você vem.

sua,

a.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *