Abril

Abril é o mês em que completo um ano de agência. Logo ali no finalzinho, 27, na trave. 27 de abril de 2012 foi o dia em que trabalhei meio período na Polvora, peguei um táxi e fui parar no Itaim, um mundo novo, a criação da DM9 me parecendo infinitamente maior do que é hoje – porque demorei a entender que eu não era assim tão pequena nela.

É o mês em que planejei e paguei minhas férias e descobri que vou estar completamente sozinha em outro continente por um período imenso pela primeira vez. E percebi que nunca estive sozinha de verdade até então. Nem aqui. Isso mesmo: nem em casa.

E é em Abril também a primeira vez que me pego num avião, viajando sozinha para negociar um contrato da minha própria empresa. Isso bateu um pouco diferente na cabeça e no coração.

Há um ano, exatamente nessa época, eu já estava perdendo as esperanças quanto a mudar de agência e jamais imaginei que conheceria uma parceira incrível, transformaríamos uma brincadeira em projeto e viraríamos sócias. Mais: pensando em como fazer o bem, tendo ideias malucas e, sobretudo, nos divertindo. Então não é a minha empresa, nem o meu contrato, nem a minha ideia, permitam a correção – somos nós, eu e Jessica, e nossas conquistas e nosso projeto e nossos sonhos, diferentes e compartilhados. E tem sido interessante, mesmo que não possamos prever onde tudo isso vai parar. Porque é mais um passo nesse mundo de correr o risco e ver o que ele tem a nos oferecer.

Abril seria meu prazo pra encontrar um apartamento perto do trabalho e finalmente sair de casa – mas tá difícil. De qualquer forma, eu já sei que estou chutando a zona de conforto pra longe (não com muito esforço, confesso, porque ela também não anda TÃO confortável assim).

De certo modo, olhar pra Abril me encheu um pouco de esperança.

Acho que estou crescendo.

Ou talvez eu continue uma criança brincando de ser adulto – não importa: com um monte de coisas dando errado na minha vida, Abril me diz “segura a onda, Ari. se ainda não tá tudo bem é porque não tá na hora”.


I’m better sorry than safe,
better never than late.

2 comentários em “Abril”

  1. Eu fico muito feliz por ti e pela tua conquista. Aguardo ansiosa o dia em ue poderei sair de casa com o meu dinheiro e não porque os meus pais pagam, mas enquanto isso não acontece, torço pelos meus amigos que podem fazer o mesmo e pelo meu futuro também. Fico feliz porque sei como é bom a gente pagar algo com o nosso dinheiro e mal posso esperar pra saber como serão suas férias e esse tempo pra ti que você tanto merece depois de tanta coisa ruim que você vem passando emocionalmente.

    Estarei aqui de qualquer forma.
    Te amo demais! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *