032013

Recentemente escrevi tantos emails gigantes que ando com um pouco de medo de mim mesma e do quão chata estou. Porque eu preciso dos meus amigos, e eles são poucos – tudo que menos quero é vê-los perder a paciência. Acontece com frequencia: tenho certeza de que estou falando sobre determinado assunto e, quando releio, é tudo sobre mim. O timing também anda horroroso.

Março é sempre um excelente mês para ficar calada.

E aí, vida, qual a tua?

o médico da minha irmã acha que é uma boa ideia mandar pra ela uma foto da cirurgia por email nesta madrugada – e ela acha que é uma boa ideia me mostrar isso assim que eu acordo.

em resumo: estou triste com a história da morte do Chorão, que vejo antes mesmo de levantar – só eu sei o quanto sempre gostei do moço Charlie Brown – e ainda termino incomodada com a imagem de um tumor enorme na minha mente.

que dia horroroso antes das seis e meia da manhã.

Coisa errada

Aquela hora em que você diz no tom mais natural do mundo “e você acha que eu quero uma piroca deste tamanho enfiada no meu cu? não, obrigada” para a senhora sua mãe, que morre de rir, fica horrorizada e diz que vai falar sobre isso na terapia no dia seguinte.