Sobre todas as coisas que eu não soube esconder

percy jackson e a maldição do titã

Eu quis muito não dizer nada sobre isso – e tentando calar todos os dias descobri que só consigo mesmo é entregar tudo. Abrir e esmiuçar cada detalhe para mim.

E para todos. Até quando não estou falando, até quando não estou presente. Nos olhos, nas músicas, nas escapadas estratégicas. Na solidão que cavei fundo por medo de me revelar nos gestos. Porque isso se tornou minha vida e foi em função de vivê-la da melhor forma possível que evitei e quis me esconder, te esconder, nos esconder.

E no fim acabei por perceber que estava tudo aqui, tão claro, tão público desde o princípio: todos vendo, que quando algo é de verdade não há ser humano que controle. Descobri que o acaso até tem seus truques, mas é a perseverança vinda do amor que torna isso assim, tão real enquanto sonho e tão perfeitamente próximo do sonho que sequer parece real.

Não é culpa minha falar: apenas transborda. Não é culpa sua negar: não estamos prontos. Talvez nunca estejamos.

Não é pra ser, não como planejei – a vida não obedece ao roteiro de ninguém, é cheia de caprichos e personalidade. E eu achando que estavam apenas criando desculpas pra evitar que um de nós fosse feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *