o antes, o agora e o depois

quando eu era guria de tudo, mandei gravar um cd com as minhas faixas favoritas pra ouvir no discman. como se pode imaginar, era um álbum melancólico e cheio de faixas chorosas – lembro de quase todas como se ele ainda funcionasse.

uma dessas faixas era “sozinho”, interpretada por Caetano Veloso.

toda vez que eu acompanhava meu pai ao trabalho, ou ao medico, ou numa visita a tios e avós e chovia, principalmente à noite, eu colocava os fones de ouvido, encostava a cabeça no vidro e, olhando sem parar para a marginal cheia de carros, ouvia “sozinho” no repeat, remoendo histórias de amor que nunca davam certo nem na minha mente.

e eu chorava, nossa. como eu chorava.

então chegava em casa e escrevia varias cartas de amor com páginas e mais páginas – e não entregava jamais.

acho que isso diz muito sobre quem eu sou hoje. ou não, rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *