3AM

Lembro da minha vó dizendo “Chorar faz bem, Ane!”.

Não consigo recordar a razão. Nem sei se é mesmo uma memória de infância ou foi um sonho, uma memória criada. Mas eu lembro claramente da risadinha dela no corredor da casa em que vivia há dez anos, lá no Carrão.

E aí, ultimamente, toda vez que eu fico engolindo e engolindo e engolindo e me escondendo até de mim, eu lembro da voz dela me dizendo isso. Deixo saírem as lagrimas. Quantas forem necessárias.

Porque faz bem. E, se não fizer, pelo menos não terei nada de ruim estocado aqui dentro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *