Smile until you look like a RETARDED

É oficial: 2011, um dos anos mais xexelentos da minha vida, está acabando.

Olha, parece inacreditável. Porque eu penei, e muita gente penou junto. Foi TCC. E desemprego. E depois excesso de trabalho, porque minha vida é assim, 8 ou 80.

Rolou o maior desapego da minha história, mas isso também foi sinônimo do meu ano mais vazio no ~~campo do amor~~.

E claro, eu me aproximei ainda mais da minha familia, a maior fortaleza que eu poderia encontrar na alegria ou na tristeza; fui a shows incríveis com amigos que eu não quero perder nunca, cantei até a voz ir embora, tive notícias ótimas (eu sofri com o TCC, penei com as redacoes, mas a faculdade acabou, parabéns pra mim), conheci o Restart (risos), gastei rios de dinheiro em maquiagem, música e comida, fiz a tatuagem que eu queria desde os muito poucos anos e antes mesmo que 2011 tenha acabado já terei saído do Brasil pela primeira vez (sou capiau, confesso) com a pessoa que mais amo no mundo – a minha caçulinha – e conhecido Londres e Paris, e de malas prontas para Berlim, Munique, Viena, Veneza, Milão e o que mais vier.

De onde veio a primeira de muitas tattoos

Porque quero um 2012 dinâmico, gastando muito menos tempo no trabalho ou em cursos odiando o universo e muito mais por aí, vivendo meus vinte e poucos anos como deve ser, pra não me arrepender da estagnação depois.

Porque eu aprendi com alguém muito querido (e que está longe agora, lá em Washington) que não importa se você está na frente ou atrás das câmeras, tido fica melhor quando se sorri: sorri como um retardado, diante da alegria, da tensão ou dos problemas, sorri até as bochechas doerem e as pessoas ao redor ficarem sem graça. Tudo se transforma – e eu quero praticar um pouco mais isso quando as câmeras e o teleprompter estão desligados também.

20111220-215031.jpg

Vem, 2012. Te espero sorrindo. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *