acontece

Mês passado (retrasado?) cheguei ao limite. Estava cansada de trabalhar, correr pra faculdade, engolir qualquer coisa, cair na cama e levantar cinco horas depois pra começar tudo de novo. Então pedi pra mudar o horário no trabalho, o que me daria algumas horinhas livres à tarde. Na primeira semana tudo correu bem: saía cedo da agência, lia, escutava música, tomava um café prestando atenção em nada, comprei até outro violão.

No entanto, de repente começou a desandar. Virou um placebo sair cedo, porque batia meu horário e eu tinha que correr da agência pra faculdade. Cuidar do blog, cuidar dos trabalhos infinitos do curso, cuidar da turbulência fodida em que entrou minha vida depois de uma traição. (Dica: deixe sempre teu ego treinado pra traições cabeludas. Poupa um esforço…).

Ariane, estou enviando os cds. Ariane já publicou a resenha? Ariane, faz o sorteio. Ariane, você arruma uma fonte? Ariane, precisamos de alguem pra apresentar o telejornal. E aí, já sorteou os CDs? Tá demorando. Por que o meu blog não tá na sua sidebar? Por que você tá mal? Olha, você é a editora só porque recebe os emails. Olha, ninguém manda, ninguém faz mais. AI, SOCORRO, FIZ MERDA, ME AJUDA? Ah, mas eu não tenho culpa que só você sabe. Deixa essa parte com a Ariane. Tudo pra ainda ouvir desaforos de quem divide as tarefas comigo, como se minha opinião e meu esforço fossem irrelevantes pra um projeto que quem botou no mundo fui eu. Por que não vão chupar um canavial de rolas?

O fim do semestre aumentou o já enorme volume de trabalhos a serem feitos, os prazos diminuíram, a  tristeza atrapalhando a concentração… Job novo (que era pra ser a maior alegria do ano) chega bem na semana de provas. Eu sempre com um TÔ NA MERDA MAS TÁ TUDO ÓTIMO tatuado na cara, porque  sou gente finíssima. Até quando sinto vontade de voar no pescoço de gente filha da puta eu faço isso sorrindo. Pois bem: ESTAFA.

Chegamos ao dia de hoje.

Preciso (MUITO) sair pra dar uma volta na rua por pelo menos uma hora sem pensar no que há pra ser feito, resolvido, no que pode dar errado se eu falhar por um segundo. Semana que vem precisa chegar logo. Eu preciso estar viva até lá.

É muita responsabilidade, muita. Tenho só 20 anos e já quero férias de tudo. Deitar em posição fetal embaixo de edredom, esvaziar as lágrimas. Ouvir música bem alto e pular na cama. Fazer guerra com meu travesseiro e perder. Quero terminar meu Ian McEwan e o último Bukowski que me falta. Fazer minhas tatuagens, viajar sozinha por um final de semana e passar o dia todo olhando pro mar.  Quero frio e fondue e boas leituras. Se bobear, até sexo eu quero (mesmo sem saber muito como ou o que fazer). Porque eu quero novidade. Sair da mesmice. Ousar e… Quantos anos eu tenho mesmo, 12?

Coragem.

Quero não olhar pra mim mesma e pensar “Porra, além de tudo eu virei Poliana”.

Mas não vai ser agora. Agora eu tô Poliana até demais.

7 comentários em “acontece”

  1. com o tempo as coisas se resolvem, se ajeitam e vão para seus conformes. relaxa e vai tocando pra frente, é dificil, mas é o que se tem, não é ?

    beijnhos

    Ariane: Pois é, Marina. Mas faz bem esvaziar um pouco, né? Dá uma aliviada o desabafo…

  2. Sabe o que pega? Tem uma falta de compreensão geral no mundo. Da tua parte (sim, pq não é só vc que tá fudida), da parte de mim (sim, pq não sou só eu que tenho o direito de reclamar), da parte do mundo. E no fim a gente fica reclamando mas não faz bosta nenhuma pra mudar nada nem ajudar ninguém. Falta é compreensão.

    Ariane: Falta informação da tua parte. Não te culpo, afinal simplesmente não tenho intimidade nem motivação pra te contar das minhas coisas, então tu não sabe. Mas daí a vir aqui e dizer que eu reclamo e não faço bosta nenhuma pra mudar e que eu não compreendo que não sou só eu que estou fodida é demais.

    Se eu não soubesse que todos estão fodidos, estaria passando minhas obrigações pra frente, não morrendo sufocada e sozinha. Não estaria dividindo o peso de trabalhos sempre que posso. Não me preocuparia nem um pouco com os outros. Quer mais? Eu não “fico reclamando”. Mas me sinto no direito de desabafar no meu blog quando não estiver me sentindo bem. Assim como você se lamenta o dia todo no twitter como se fosse a última e mais fodida das personagens de um dramalhão mexicano. Afinal, só lê quem quer. O blog, o twitter, tudo.

    Não to indo atrás de encher o saco de ninguém. E não vejo o porquê da tua conclusão se nada tens a ver com que eu disse no post. Da próxima vez que for comentar num desabafo, Jessica, pensa um pouco mais. Não é estar na mesma sala que eu todos os dias que faz de ti alguém que me conhece bem a ponto de me julgar e ser aceita.

    Meu direito ficar puta, né?

    Falta compreensão mesmo. Mas certamente não pelo que você disse.
    Obrigada. Beijo

  3. Foda isso. De repente você tá tão envolvida em tanta coisa ao mesmo tempo, que falta tempo pra pensar nas suas coisas, na sua vida; e é como se esse monte de responsabilidades te deixasse “anestesiada” pra vida propriamente dita. E aí vem o surto. Eu acho legal que você tem consciência de tudo isso, e mesmo assim se mantém responsável. Mas assim que puder, não deixe de fazer tudo isso que você disse que quer fazer. 😉

    By the way, adoro seu blog.
    bjs

    Ariane: “Anestesiada” é mesmo a palavra ideal. Falei esses dias com alguém que, se eu não estava sofrendo, era porque não dava tempo. Daí quando tem uma pausinha qualquer, a gente desmorona, né?

    Tô me esforçando pra ter paz as soon as possible. =)

    Obrigada pela visita 🙂

  4. ô flor, a gente sabe q eh horrível(eu tbm vivo numa correria parecida com a sua), mas num desanima não…
    tô torcendo mt msm por vc, viu?
    xero!

    Ariane: Ô, Amanda, obrigada pela força. Não desanimo não, pelo contrário: estou é me animando bastante nos últimos tempos! =D

  5. É, Ariane, tô nessa. Mas eu ainda tenho uma ajuda: não trabalho. E o blog? Passou novembro abandonado, nem moderar comentários eu fiz.

    Fiquei por conta da facul, não é só fim de semestre, é fim de curso, então tem milhões de documentos pra entregar, TCC, provas, etc.

    Até minhas paqueras já sabem que só vão me ver mês que vem haha

    Mas dia 03 apresento o TCC e assino a alforria 😀

    Uma hora a sua alforria também chega 😉

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *