all that jazz

lluuvv

eu ainda lia, eventualmente, os feeds do twitter dele. tentativa estúpida de não ficar TÃO longe. depois de deletar de tudo, depois de não conversar mais, o que me resta? o que me resta além dessas coisas infinitamente banais?

veja bem: [socialmediaéofuturo] descobri inclusive que cada vez mais temos pessoas em comum nas nossas listas [reflita, ambos temos twitter desde 2006 e até mês passado não tínhamos quase nenhum contato em comum]. estamos cada vez mais perto sempre que mais distantes.

e eu sinto uma saudade misturada com dor e com vitória [depois me dou conta de que fui derrotada mais uma vez]. aí a vida continua, são milhares de trabalhos pra entregar, provas pra estudar, o emprego a mil e eu sequer consigo dormir ou fazer o que tem de ser feito. é só pensar nele, em nós, no passado. só isso que tenho sido capaz de fazer. [além de perder cabelo e engordar em PG]

sinto que não ficaria com ele nunca mais. no entanto, nunca senti tanto ciúme, tanta saudade, tanta vontade de estar de novo beijando aquela boca e conversando banalidades na cama numa tarde de novembro. acho que sou muito idiota. ou esse é um karma [pesado pra caralho] que eu vou ter de suportar.

& karma is a bitch.

Um comentário em “all that jazz”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *