consolo amigo #1: como agradar uma mulher

2AM, gtalks, aquele amigo que sempre ouve as suas piores histórias ensina: como agradar uma mulher?

como agradar uma mulher = atenção + carinho eventual (não seja babão, mulheres odeiam isso) + privilegiar o prazer dela na cama (convenhamos, depois de ela estar totalmente acabada, vc resolve sua vida em 2 minutos, quem não entende isso é muito burro) + lavar a louça de vez em quando (nem precisa ser sempre)
PS: atenção redobrada em períodos de alteração hormonal

lição, hein, garotos? haha.

fatores relevantes:
#1 era um momento de oversharing. para ambos.
#2 ele tem um histórico tão fodido quanto o meu.
#3 ninguém aqui é caga-regras. reaja com humor.

eu, dândi

Deliberadamente, e sem que eu o tivesse convidado, você se introduziu no meu mundo, tomando um lugar ao qual não tinha nenhum direito ou qualquer qualificação que o tornasse digno de ocupá-lo. E por ter se tornado, graças à sua presença constante e uma curiosa insistência, numa parte essencial de cada dia, conseguiu absorver toda a minha vida e não soube fazer nada melhor que destroçá-la. Por mais estranho que isso possa parecer-lhe, era apenas natural que o fizesse. QUando damos a uma criança um brinquedo demasiado complexo para que sua pequenina mente possa entendê-lo, ou demasiado belo para seus olhos que ainda mal conseguem ver, ela acabará por quebrá-lo, se for travessa, ou se for descuidada, irá abandoná-lo para brincar com seus companheiros. Foi o que aconteceu com você. Tendo se apossado da minha vida, não sabia o que fazer com ela – nem poderia saber. Ela era demasiado maravilhosa para que pudesse entendê-la. Deveria tê-la deixado escorrer por entre os dedos e voltado para junto de seus amigos e folguedos. Mas infelizmente para mim, você era voluntarioso e preferiu destroçá-la. Este é, em resumo, o segredo de tudo o que aconteceu. Pois os segredos são sempre bem menores do que a sua revelação.

– Oscar Wilde, em De Profundis.


Há meses eu busco palavras pra definir o que aconteceu. O que está acontecendo. Ontem encontrei-as. Não são (infelizmente) minhas, mas narram minha vida perfeitamente. Entendem o porquê do grifatexto agora? (E tomara que eu saiba encarar o sofrimento como ele o fez.)

de profundis

acabei. oscar wilde me detonou. palavras dele que podiam ser minhas, infinitas.

assim que acabarem os lenços e soluços, posto as principais aqui.

Google Reader

reader

(sobre esse post)

… and:

reader2

E se alguém discorda, favor não se manifestar.

brinks, liberdade de expressão pra galere 🙂

Desencalhando a @lovemaltine: saga #FAIL

Porque meu histórico de relacionamentos (?) é o mais falho da história humana e estou chegando aos 20 anos sem ter tido sequer UM namorado que seja, resolvi encher o saco do Eric. E ele, com sua paciência e bom humor contagiantes, depois de alguns minutos de “ah, Eric, tenho certeza que você tem contatooooos…!!!” lançou o tal tweet.

ericfranco

@ericfranco: O início

Óbvio ululante que eu não liguei. Apoiei, eu que já perdi a conta de quantos micos já paguei nessas internets afora, sabendo que não ia dar em nada – no máximo em boas risadas. Acontece que o “RT PLS” dele foi realmente obedecido, ora vejam só.

(se fosse coisa séria, duvido que isso aconteceria!)

Provavelmente todo mundo se solidarizou com o excesso de carência de Ariane Lovemaltine. (aka: todo mundo tá na vibe da trollagi e achou o alvo fácil ali, na hora)

carlacoutinho

oliviaorlandin

tcordeiro

@carlacoutinho, @oliviaorlandine e @tcordeiro: nada como o apoio dos colegas de trabalho, não?

gabibianco

filipekiss

gfortes

metheoro

com @gabibianco, @Gfortes e @metheoro na campanha, posso dizer que VIROU GUERRILHA. (nonono)
A propósito, Gabriela Bianco, meu bem, ainda tô topando o 8° splash com o sungaboy. =P

pedrovanzella

em resposta a esse tweet, i’ll just leave it here.

liahack

Até a minha musa do centro-oeste entrou na dança. :'(

marcelo_almeida

E sabe o que é melhor? EU NUNCA ERRO! =D
DEZ RETWEETS e o único pretendente que se manifestou cultua Onã e vomita pelo nariz. NO FREAKING WAY.
Ri com o Eric da história toda (e de várias outras histórias bizarras) até desidratar.

Pra constar, algumas considerações:
1- Graças a Deus e à sensatez de alguns colegas, isso não se espalhou tanto assim. 🙂
2- Eu não sou desesperada a ponto de arranjar um namorado dessa forma. Mas que ia ser divertida a seleção, ah, seria! HAHAHA!
E claro que caso você conheça aí um nerd, SOLTEIRO, gordinho, inteligente e divertido, que tenha paciência com mimimis, goste de literatura e consiga administrar o tempo dele entre o videogame e uma garota, fala pra me mandar um email. (Ok, ser gordinho não é exigência, mas é fator de desempate. =P )
3- WTF rts de gente que nem sonha me conhecer? ô.o
4- Próxima aventura, por favor. =DD

E eu tô de brinks, okay?
=P

domingo-fail

óbvio e ululante que levando a vida no ritmo em que estou levando eu ia cair doente mais cedo ou mais tarde. mas poxa, justo agora? não podia ser, assim, no feriado e tal?

e ninguém anotou a placa do caminhão. hunf.

Equilíbrio: não trabalhamos.

Sentimentos não tem timing, mas você tem que ter. Grande parte das merdas da vida já parte daí. Afinal, é difícil, parece hipócrita e soa incoerente: mas você tem que saber quando se podar. Tem que ser capaz de fazê-lo ou simplesmente aceitar as consequências de continuar insistindo em algo que, já sabe claramente, não tem futuro algum.

Ok, vamos aos fatos: em um mês de agência eu aprendi muito mais do que poderia imaginar. Trabalho com o que gosto, ao lado de pessoas incríveis e descobri (sem nenhum espanto) que realmente não sei ser outra senão essa Ariane transparente, que conta tudo e não esconde nada. Não que isso seja bom (e muitas vezes não é), mas é raro.

Outra das minhas grandes descobertas é a de que dinheiro não é fácil de ganhar como é fácil de gastar (alô, olha que eu trabalho com o que amo, hein?) e que não importa quando nem onde você esteja, mesmo se todos perdem a noção, sempre há alguém inteligente o suficiente para saber a hora de parar. (Eu ainda quero poder ser esse alguém um dia). Filtro: eu recomendo (mas, infelizmente, não tenho).

Olha que lindo: cada um tem uma maneira diferente de reagir às brincadeiras/problemas.Tem gente que gosta de trollar todo mundo mas perde a linha na primeira vez que recebe trollagem de alguém. É a vida. Não sabe brincar, não desce pro play? Não, não é assim. A gente aprende a entender e a maneirar com as brincadeiras com quem não gosta. Mesmo eu sendo praticamente um molequinho nessa área, tenho aprendido bastante a controlar minha língua grande.

Até porque… Assim como alguém pode parecer uma aberração pra você, você é uma aberração pra alguém, e por aí vai. Pra uma briga acontecer, duas pessoas precisam querer – e eu sei que não sou o exemplo máximo de calma, mas realmente recomendo que se evitem brigas sempre que possível. Geralmente elas não resolvem porra nenhuma, só aumentam a proporções BIZZARRAS todos e quaisquer problemas.

Então está tudo absolutamente lindo, o trabalho caminhando bem (embora eu sinta que preciso me dedicar ainda mais, e tornar o meu melhor ainda superior, e largar um pouco mão da insegurança), as brigas sendo evitadas, os amigos mais amigos que nunca, livros infinitos pra ler, dinheirinho entrando pra eu comprar equipamento (essa é a única razão real pela qual eu trabalho: comprar livros e equipamento fotográfico), NO FUCKING REASONS pra eu ficar triste. At all.

At all não. Coisas pequenas tem um big significado pra mim. E eu faço tempestades em copo d’água numa frequência assustadora. É o freela que não ficou bom o suficiente e me faz sentir a pior profissional do mundo (e achar que nunca mais ninguém me chama de novo), é o oversharing com colegas que não têm obrigação de me aguentar (e, sobretudo, não deveriam saber de certos aspectos da minha vida), é o cansaço abundante, é a fucking vontade de chorar quando eu penso ‘nele’ (e pensar ‘nele’ é algo muito mais frequente do que eu gostaria).

Eu sei que tudo que não está no meu foco de atenção desaparece. E eu realmente me esforço para que ‘ele’ não esteja. Mas é que queria dizer muitas coisas, e sempre que nos vemos não consigo dizer nada. Sempre estrago tudo ficando de novo e de novo e insistindo num erro que é meu e só meu, uma vez que ele já deixou claro que não gosta de mim. Dane-se se está ali por pena, se é pra ver se eu aquieto por um tempo ou se realmente gostaria de passar um tempo comigo, a questão é que nossos objetivos são diferentes, nossos sonhos são diferentes, nossas vidas não vão pelos mesmos caminhos e eu, ao invés de me ligar a tudo de bom que tem me acontecido, fico presa nesse “e agora, o que eu faço, eu o amo e ele não me ama, como doi essa porra desse coração, socorro”. Assim não dá. Equilíbrio, cadê?

Eu sei que não falei muito sobre a minha morte aqui. Naquela época, não me senti à vontade o suficiente. Talvez consiga um dia, não sei. O que posso dizer é apenas que ela me assombra todos os dias desde então. Todos os dias tenho medo de ter um ataque daqueles de novo e, dessa vez, não conseguir retomar os sentidos. De ficar presa pra sempre na escuridão e na ausência. De ouvir apenas o choro da minha mãe – e depois, nada: porque até o choro da minha mãe uma hora vai acabar. A morte me assombra porque ela foi fruto apenas da minha tristeza profunda. E eu não tenho conseguido – de novo – conter essa tristeza.

Eu preciso encontrar o equilíbrio. Entender que o importante é o que está dando certo na minha vida. Sorrir e acreditar que um dia encontrarei alguém que eu ame e que me ame de volta, nem que seja só um pouquinho.

Enquanto isso, a carência me tortura TANTO… É. Equilíbrio: não trabalhamos.

Mas vamos em frente, porque de nada adianta parar: a vida continua, com ou sem minha presença nela.

hit the road, jack

“Porra, a vida é triste, como se pode viver, que dirá trabalhar – a gente dorme e sonha que está do outro lado – e é aí que o lobo que nos espreita fica mil vezes pior do que sabe-se lá o quê – e, olha aí, parei – como pode um homem mentir e dizer merda quando tem ouro na boca?”

Jack Kerouac, in O livro dos Sonhos.

#grifatextofeelings.

[Tô cheia de coisa pra contar, só me falta tempo pra digitar posts.]