amanhã

por que é que quanto mais distante ficamos, mais vontade eu sinto de declarar meu amor pra ti?
gritar pra todo mundo ouvir, pra ter certeza de que tu sabe o que eu tou sentindo.
tu não liga mais pra mim, eu só preciso aceitar isso. mas é tão difícil…

(aumente o volume, é o melhor pra nós dois)

De novo, Déja vú

Farrapos da minha vida
Farrapos da minha vida

O show foi sensacional e a entrevista foi uma das melhores que já fizemos até agora. Tentei escrever hoje, mas capotei depois de tratar as fotos. Agora há pouco eu transcrevi tudinho e amanhã vejo se coloco a cabeça pra trabalhar na resenha. Se é que eu tenho sanidade suficiente pra resenhar esse show. Fritei, rasguei meia calça, caí… Foi divertido, um tal de “Você é fã, é?” pra cá e outro “Não, tô trabalhando mesmo” pra lá. Gente louca puxando assunto, bêbados querendo bater papo… Eu gosto do meu trabalho. Hahaha.

Eu também não sei por que estava segurando a câmera assim. =/
Eu também não sei por que estava segurando a câmera assim. =/

Eu e os farrapos continuamos no Studio SP, no melhor dos combos trabalho + diversão. Minha vida tá tomando um ritmo insano. E eu não vou reclamar, não, eu gosto. hahaha! De novo a sensação de “tô exatamente onde eu queria estar” e um tal de “eu sinto que eu tô viva”… Tão bom pensar assim. Tão bom ver que dá pra deixar os sentimentos de lado e viver bem! Tô sussa de sentir, sério. (Mentira, mas ok)

Mil resoluções e conclusões na cabeça, mas prefiro não dizer mais nada por hoje. Só por hoje eu vou ficar caladinha, deixando tudo acontecer. =)

Fui ali produzir e já volto. :*

O título de ontem não condiz com o post porque eu comecei pensando numa coisa e mudei pra outra e nem percebi. Tou toda aérea nos últimos tempos.

Dignidade? A gente encontra isso é no lixo.
Quando gosta, vai fazer o que? Ficar negando pra si mesma?

Miminhos

Hoje passei o dia com os meninos da Fresno bombando no posto. Depois eu postarei tudo direitinho no Vitroleiros.

A alegria do dia é que vai aumentando o número de conquistas no meu coraçãozinho. Cansei dessa inércia de “me odeio te amo você não me quer”. Vou ali trabalhar e quando alguém me quiser talvez eu ceda um pouquinho. Beijos. =)

Com vocês, as fotos:


Created with flickr slideshow.

Meu xodózinho me decepcionou. É, a Xsi simplesmente não ligou. Dei sorte de estar com a cam da Tainá na bolsa. Fiz o que pude.

Twitter aplicado

b9cf24cb922674982a530091ad217442_hDe repente me passou pela cabeça a ideia de que quem tomou todas as iniciativas sempre fui eu. Não sei se é piração, mas isso acaba dando algum sentido ao fato de eu ter vivido essa história sozinha. É como se eu te seguisse no twitter, mas você não me seguisse de volta: eu acompanho sua vida, e você não acompanha a minha. E, embora a mais interessada em falar com você de maneira mais próxima seja eu, só quem pode me mandar direct messages é você. Mas que diferença faz, se você não tem nada a me dizer? Se mal sabe que eu existo? Eu sei que parece um exemplo meio babaca, mas faz todo o sentido, pelo menos pra mim. E o mais incrível de tudo é que eu sei que eu sou a errada da história, eu sei que não posso entrar no seu coração à força, mas eu fico tentando e tentando e tentando e me forçando a acreditar que, numa de nossas ficadas, no meio de um dos beijos quentes ou voltas na cama, você vá se apaixonar e me amar tanto quanto eu te amo. É como se, talvez um dia, você visse uma reply, passasse a me seguir também e finalmente trocasse directs comigo.

Ah, que bobagem a minha. A verdade é que desde o dia em que você me disse “Oi” pela primeira vez, olhos nos olhos, eu já não sei mais o que aconteceu entre nós. Eu já não sei mais o que eu senti o que minha cabeça criou o que nós fizemos eu só sei que eu te amo demais e não dá pra viver assim. O Personare diz: “A grande contradição destes dias envolve as suas necessidades afetivas versus as suas necessidades estudantis ou profissionais: uma das coisas precisará ser temporariamente sacrificada, para que a outra possa crescer.” Estou sacrificando você.

vibe do dia


Eu encontrei-a quando não quis
mais procurar o meu amor
E quanto levou foi pr’eu merecer
antes um mês e eu já não sei

E até quem me vê lendo o jornal
na fila do pão sabe que eu te encontrei
E ninguém dirá que é tarde demais
que é tão diferente assim
Do nosso amor a gente é que sabe, pequena

Ah vai!
Me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém
afim de te acompanhar
E se o caso for de ir à praia eu levo essa casa numa sacola

Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê deve não ser
Você me falou pr’eu não me preocupar
ter fé e ver coragem no amor

E só de te ver eu penso em trocar
a minha TV num jeito de te levar
a qualquer lugar que você queira
e ir onde o vento for, que pra nós dois
sair de casa já é se aventurar

Ah vai, me diz o que é o sossego
que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar

in your arms

love,sensual,beautiful,couple,kiss,photography-ff18207263f0bee7f91649098f27074f_h Passei dezenove anos da minha vida acordando sozinha e, embora soubesse que me faltava algo, não me importava significativamente com isso. Daí acordo uma vez ao teu lado e tudo o que eu desejo todos os dias ao levantar é poder te ver dormindo, beijar tua face ainda morna ao som da chuva batendo na janela e sentir teu abraço lento e apertado. É… Suportamos viver sozinhos até o dia em que descobrimos como é viver com quem amamos. Assim, como eu te amo.

(A dor é não poder te ligar agora e dizer tudo isso. A dor é te amar e sentir tua falta em silêncio, ter de te procurar em outros beijos, abraços, em outras carnes. Porque eu não quero só as carnes, a superfície. Eu quero por inteiro… E sei que nunca te acharei em ninguém além de ti.)