Na madrugada

Sabíamos estar condenados; os inimigos, os outros, o resto da população do mundo nos esperava para lançar seus olhares, dizer suas coisas feias, ferir com sua maldade ou sua tristeza o nosso mundo, nosso pequeno mundo que ainda podíamos defender um dia ou dois, nosso mundo trêmulo de felicidade, sonâmbulo, irreal, fechado, e tão louco e tão bobo e tão bom como nunca mais, nunca mais haverá.

Rubem Braga, Os amantes

imagem via luvluvluv.

Um comentário em “Na madrugada”

  1. Adoro seu blog, direto venho visita-lo.
    Tenho saudades do meu;
    ótimo blog, inclusive, não vejo mais blogs como este, infelizmente.

    Beijo.
    :*

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *