Tempos e sentidos

timelesseyephotographyeyesartclock-7c5e13c3926766ae4f0cee8c18bf2435_h

Ok. Há um certo ponto da vida em que a gente já não cre mais em contos de fadas. Não espera de todos o comportamento de príncipe encantado e também não consegue cair de amores de primeira nem pelo vilão e nem pelo mocinho. Talvez seja fase, mas não tem nada pior do que estar morrendo de carência ao mesmo tempo em que se tem certeza de que o melhor a fazer é continuar só. E o tempo passa enquanto cultivo essa dor.

Eu desconfio de cada palavra que ouço e vou me machucando sozinha, querendo acreditar e não conseguindo. Selecionando, selecionando, selecionando… E escolhendo o errado, sempre. Sem perceber. Influenciada por algumas feridas antigas, alheias ou pessoais. Sem querer. E o tempo passa… Amanhã eu estarei um dia mais velha. Mais um dia sozinha na vida. Tenho quase 20 anos e nunca namorei. Nunca vivi nada que fosse verdadeiro de ambos os lados. Eu sempre me entreguei pro vazio, me joguei (esperando que alguém de braços abertos fosse me segurar) e caí de cara no chão. Estou em crise.

Snto que coisas verdadeiras tendem a não acontecer comigo. Às vezes parece que é tudo um filme… Tanta coisa exatamente igual aos romances e mimimi, como se a vida não fosse sentimento, fosse um roteiro a ser seguido. Como se as pessoas fossem passando por mim como têm de passar, num eterno teste de elenco. Mas a cena nunca está boa, nunca está completa, e fica se repetindo, às vezes com os mesmos erros, às vezes com erros diferentes.

Só que a vida acaba antes do final feliz. É um eterno ensaio, um começo sem fim. Porque a morte não é o fim do filme, só obriga uma pausa nele. Quem foi embora foi, e quem ficou é obrigado a recomeçar. De novo, e de novo, e de novo… Quantas vezes for necessário.

Eu tenho a sensação de que só eu sinto. Se você porventura também, responde uma coisa: você se sente privilegiado?

Porque eu, ultimamente, tenho contestado a ideia de que sentir é um privilégio… Contestado não. Tenho tentado descobrir até que ponto isso é verdade, até que ponto eu não era mais feliz quando era fria e fechada… (Ou não, gente, ou não. Às vezes é tudo bobeira minha.)

baseado num desabafo via gtalk.
foto via vi.sualize.us

2 comentários em “Tempos e sentidos”

  1. o mundo é muito amplo pra se atuar em uma peça só.
    fatos e mais fatos e mais fatos e MAIS FATOS vão acontecer em nossas vidas.

    e não existe um final feliz.
    existem vários. todos os dias.
    não se prenda no eterno, no único, no apenas.
    se joga no mar e contemple do coral ao peixe mais bonito.

    ah, detalhe.
    não cria toda essa expectativa em cima de romance e afins. prq isso não existe. 🙂
    as pessoas que são românticas e criam um “teatro” onde não devia.
    namorar é ter alguém pra vc pegar quando quiser e uma companhia fixa. alguém pra você aprender a conviver com mais intimidade.
    namorar é, como qualquer relação, aprender a aceitar que pessoas mesmo sendo pessoas, são diferentes.

    enfim, hahaha. /monga
    beijo!
    fica beeeeeeeeeem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *