Pela manhã

Foi uma noite linda, apaixonante, não queria deixar a alegria acabar. Quis que o tempo parasse, como quando era criança. Que bobinha. Resolvi pedir ajuda. Agarrei-me a Rubem Fonseca e deixei-o tomar conta de mim. Deixe que tome conta. Já não sou mais a mesma de um ano atrás. A menina que grifava livros, alguém poderá dizer um dia. (Como sou bobinha!) Apaixonante esse Fonseca, meninos. Recomendo. Fazia tempo não o lia. Posso apostar que desde o Ensino Fundamental. Quem quiser me encontrar, sabe exatamente onde. Continuo imersa nos carinhos e nos cheiros de ontem. Na ironia da vida com música e situação repetidas. Fonseca me acompanha. Com licença, desculpem a ausência. Errado é não viver a vida. (Louca, completamente louca, podem falar.)

Foto por Hophopscotch

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *