Ainda pulsa

Está doendo um pouquinho. Só um pouco. Só o suficiente pra acelerar o coração e colocar algumas lágrimas no rosto. Acho que acontece, é normal. Devem ser os hormônios. Malditos hormônios. Internet é um veneno. Caralho, como é possível? O amor é importante. Porra. Que moral você tem pra dizer isso? Só teve até hoje pena e amor próprio. Meu coração dói, que estranho. De novo aquela necessidade de colo. De novo o aperto geral, a vontade de me comprimir todinha, todinha, até desaparecer. Acho que eu preciso de um abraço. De um beijo com paixão. Com carinho. De alguém me dizendo no ouvido que tudo vai ficar bem. Pelo menos dessa vez, eu queria sentir que fui lembrada. É. Queria me sentir um pouco menos objeto… É. Eu ainda tenho um coração.

Às vezes eu acho que as pessoas se esquecem disso. E ele – coração burro da porra! – faz questão de continuar sentindo, e sentindo, sentindo… Armadilha do demo.

Eu não quero mais chorar. Não. Não quero.
Tirem a dor daqui.

2 comentários em “Ainda pulsa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *