Perdoai…

Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura,
Essa intimidade perfeita com o silêncio.
Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo:
– Perdoai! Eles não têm culpa de ter nascido…

 Vinícius de Moraes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *