Segunda-Feira, 7AM

Sorte de hoje: Venda as suas idéias – elas são completamente aceitáveis

Insônia, trânsito, preocupações. A semana já começou bombando, com 5000 caracteres por fazer e no mínimo 5 textos de umas 30 páginas pra apresentar. Não dá pra ignorar o coração (infelizmente) e aí eu sou obrigada a conviver com minhas angústias ao mesmo tempo em que corro atrás do prejuízo do final de semana (em que só dormi, comi e vi parentes). Aliás, não dá pra desvencilhar angústia e obrigações simplesmente porque são uma parte da outra…

Ah! O Personare veio tentar me ensinar o que já sie faz tempo…

Para quem está solteiro, o momento envolve a consciência de que ao invés de buscar o amor fora de si, é chegada a hora de verter este amor para a própria alma: cuidar de si, dar mais atenção às próprias questões, fazer alguma forma de terapia. Em suma, cuidar das próprias feridas, pois sempre existe uma!

Quer dizer, ele está há mais de mês me dizendo que eu estarei mais “altruísta” e até agora nada. Mas ler esse troço toda manhã me garante boas risadas.

ps: Fiquei meio ‘assim‘ de ter postado meu sonho ontem. Mas eu nem ligo, também… Sempre fui tão transparente…

Agora aula. Depois leituras e escritos. Depois, se Deus quiser e permitir, fotografias

E assim caminha a humanidade a minha vida.

Beijos.

sonho em minúsculas

ou “a minúscula vida de ariane

e daí ele estava aqui pertinho e eu ele estávamos aconchegadinhos, mas ele não era mais o mesmo. nós e o pôr-do-sol. não adiantava perguntar o que aconteceu, ou o que ele tinha. era uma frieza daquelas contestáveis, aquelas que gelam você e depois dão carinho pra não te deixar suspeitas. e de repente apareceu outra menina, e outra, e mais outra, e de repente ele me dizia que eu tinha vacilado, que não aroveitei minha chance, que não era mais especial, que o havia ensinado que amar não vale a pena. e ele não amava mais. e elas eram pra ele tanto quanto eu, ou até mais: com elas ele conseguia se divertir e sentir prazer sem ter que ter lembranças no meio do caminho. comigo era mais difícil. comigo? não ia ter mais comigo. que eu era passado, e ele não queria mais me ver nem pintada. ele era demais pra mim e eu sabia disso. eu era uma boba que se apaixonou e acabou ficando chata demais, ciumenta demais. agora não havia mais distância física, mas os corações estavam mais separados que nunca. tipo uma conspiração. e a culpa era só minha. da minha ingenuidade. eu eu chorava, enquanto ele ia embora com outras, rindo de mim. era hora de ficar sozinha, coisa a que sempre estive acostumada, mas que dessa vez parecia horrível. eu estava realmente sozinha, solidão daquela que dói, solidão de quem sabe que em momento nenhum aparecerá companhia. e eu chorava, mas as lágrimas secaram. e eu quis gritar, mas a voz não saiu. e aí foi engraçado, porque eu estava morta: estava morta, mas podia enxergar o mundo fora de mim. e, mesmo morta, continuei sozinha. e o mundo de fora não sentiu a mínima falta. eu fiquei lá, estirada na minha cama, dias, meses, anos. e ninguém apareceu, telefone não tocou, campainha não foi apertada. os únicos papéis que o carteiro passou por baixo da porta eram contas e propagandas que se acumulavam enquanto ninguém podia pegá-los. e eu estava fora do meu corpo, e podia me ver ali, mortinha, gelada, molenga. e gritava comigo mesma, chorava, implorava. mas nem eu mesma me ouvia. então eu desisti. deitei por cima de meu corpo. desaparecemos. com a certeza de que não faríamos falta nenhuma. só mais uma no mundo, eu era só mais uma no mundo. assim como ele me falou minutos antes de sair com outras, minutos antes de me trocar pra sempre. de me deixar ali, indefesa, frágil, ferida exposta. depois de ter pego meu coração em suas mãos.

e ficamos ali. eu, meu corpo morto e meu coração cinzento, parado, descartado num canto da sala. ‘e vivemos felizes para sempre’. não fadados ao esquecimento, mas esquecidos de verdade. até apodrecer, até os vermes, larvas, insetos e a podridão nos engolirem e deixarem só uma carcaça óssea que, talvez, algum dia, incitasse dúvida em alguém que a encontrasse lá (algum dia alguém tinha de me encontrar lá!): “quem terá sido essa?” “-ah, só mais uma…”. porque o que dói muito em alguém pode não doer nada em outra pessoa. a minha dor é minha, e não dos outros.

porque somos sempre um minúsculo insetinho num mundão gigante, e a morte de uma abelha não acaba com uma colméia.

I’m a Fake

(ou Minha Vida por Bert McCracken)

Small, simple, safe price.
Rise the wake and carry me with all of my regrets.
This is not a small cut that scabs, and dries, and flakes, and heals.
And I am not afraid to die.
I´m not afraid to bleed, and fuck, and fight.
I want the pain of payment.
What´s left, but a section of pigmy size cuts.
Much like a slew of a thousand unwanted fucks.
Would you be my little cut?
Would you be my thousand fucks?
And make mark leaving space for the guilt to be liquid.
To fill, and spill over, and under my thoughts.
My sad, sorry, selfish cry out to the cutter.
I´m cutting trying to picture your black broken heart.
Love is not like anything.
Especially a fucking knife.

Look at me.
Can you tell,
By the way I move and do my hair?
Do you think that it´s me,
Or is it not me?
I don´t even care.
I´m alive, I don´t smell.
I´m the cleanest I have ever been.

I feel big, I feel tall, I feel dry.
Dry.
Just look at me, look at me now.
I´m a fake, I´m a fake, I´m fake, I´m fake.
Just look at me, look at me now.
I´m a fake, I´m a fake, I´m fake, I´m fake.

Do I drink?
Do I date?
I´ve got perfect placements.
All my ink satisfied,
In your eyes.
I´m the biggest fan that I´ve got right now.
I made sure that I look how I wanted to look.
The people around me,
The people surround me.

I feel big, I feel tall, I feel dry.
Dry.
Just look at me, look at me now.
I´m a fake, I´m a fake, I´m fake, I´m fake.

My stomach hurts now,
And all tied off in lace.
I pray, I beg, for anything to hit me in the face.
And this sickness isn´t me.
I pray to fall from grace.
The last thing I see is feeling.

And I´m telling you I´m a fake. Just look at me, look at me now.
I´m a fake, I´m a fake, I´m fake, I´m fake.

Fake.

Salvem as baleias

Bateu de novo a saudade de uns tempos atrás. É horrível ir ao shopping, eu sempre me esqueço disso. Do quanto é ruim sair pra comprar roupas e não caber nelas, do quanto é triste saber que não vendem aquilo que você gostaria de vestir no seu tamanho. Eu sei que pode parecer falta de perseverança, falta de determinação ou até mesmo falta do que fazer (afinal, eu poderia muito bem ignorar o fato de que sou maior que uma Jubarte e ir estudar ao invés de reclamar aqui) mas não é. É realmente difícil emagrecer. É difícil me aceitar assim. E aí, a vontade que dá é morrer. Sim, porque eu não tenho a mínima vontade de sair na rua assim. Feia, mal vestida, despenteada…

(E agora vêm aqueles que chamam isso de “futilidade“. Ok, então eu sou fútil. Muito fútil. E não ligo. Porque até hoje, eu não vi NENHUMA dessas pessoas namorando alguém gordinho, feio ou mal vestido. PIOR: já vi várias vezes fazerem comentários críticos a respeito de pessoas assim na rua. Então, se eu sou fútil por assumir que tenho vaidade, sou fútil com orgulho.)

Vontade de ficar aqui nessa cama pra sempre, que nada parece dar certo >.<~

Esse mundo não é mesmo pra mim.

Sortes e mais sortes…

Sorte de hoje: Boas notícias chegarão por e-mail

Caixa de entrada, 01:15AM

Assunto: Boa Notícia
De: Andersson Quegi
Enviada em: sex 22/08/2008 01:12

Olá, o Orkut me mandou aqui pra te trazer uma boa notícia.
Mas eu… ahn… Esqueci! loko

=B

Anderssauro

Caixa de entrada, 2AM

Assunto: Você está passando por um novo trânsito astrológico
De: Horóscopo Personare
Enviada em: sex 22/08/2008 01:43

Sol na casa 11, lua na casa 7
22/08 (hoje) às 1h05 a 24/08 às 4h10

O período que vai de 22/08 (hoje) às 1h05 a 24/08 às 4h10 está associado a um sentimento de amizade que beneficia largamente sua vida amorosa, Ariane. [cara, eu não tenho vida amorosa!] Amigos poderão beneficiar sua vida afetiva, ou te apresentar a alguém especial, ou você poderá também se divertir com os amigos do ser amado. [ -q?/ aqueles que fizeram com que a gente nunca ficasse junto? AH tá, só pra saber.] É também um momento ótimo para perceber que o ser amado também é seu amigo, e que deveria ser, antes de tudo, seu melhor amigo.[eu acho que se pá esse horóscopo é de 22.08.2001. Porque desde 2002 a gente nem se fala mais.] De algum modo meio mágico, você se perceberá mais sensível em relação às necessidades alheias, e se ocupará de tentar preencher tais desejos, pois o trânsito do Sol pela Casa 11 lhe permite uma compreensão maior dos anseios dos outros. A Lua se encontra em harmonia ao Sol, e você estará se comunicando melhor com as pessoas a quem você ama: excelente momento para ter conversas esclarecedoras e chegar a pontos consensuais com pessoas que lhe interessem. A Lua na Casa 7 beneficia largamente planos futuros em comum com o ser amado.[ah tá. entendi. NOT]

Pois é, pois é, pois é. “Ser amado” e “harmonia” não combinam. E boa notícia é o escambal. E o Ander não vale nada. HAHAHAHA,bjs.

Parabéns (?)!

É hoje. 22 de agosto. Aniversário dele. Aquele sobre o qual eu sempre falo com um olhar cheio de melancolia e histórias tristes. O único amor da minha vida. <piegas><apelona>O meu príncipe encantado.</piegas></apelona>

Cansei um pouco de gostar tanto dele. Mas isso não fez o sentimento diminuir. Eu posso ter zingbilhões de paixonites… Ele sempre volta pra me assombrar. Apelei até pro iGod. Deus disse o óbvio:

Me:
Should I tell Caio I love him?
God:
Only you can answer that.
Me:
Why?
God:
I couldn’t think of anything else to say.
Me:
What if he hate me?
God:
Try it and see.
Me:
Won’t it hurt me?
God:
It usually does, doesn’t it?
Me:
Yes, it does.
God:
Mmm. How often?
Me:
All the time. What’s worse?
God:
It must keep you busy. Check back later and see if I learn the answer to that one.
Me:
I showed him he’s special to me. Is it enought?
God:
How did it go? Maybe.

Enfim. É aquela coisa do homem-aranha, sempre. Grandes poderes vêm com grandes responsabilidades. Brincadeiras à parte, só eu tenho o poder pra descobrir se isso tudo vai dar certo um dia ou não. Mas a tentativa implicaria outras coisas até mesmo assustadoras pra mim.

O que me restou foi deixar os parabéns da forma mais sucinta que já pude fazê-lo. No final, ele vai ignorar mesmo. Capaz até de rejeitar, tão infantil que ainda é. Mas ninguém pode dizer que não tentei:

Parabéns! Saúde, alegria, bebida, farra e toda aquela coisa bonita que se deseja todo ano pra alguém. Mais que isso, que as coisas aconteçam de verdade pra ti, porque isso é um privilégio de poucos. Te gosto um tantão gigante, não de agora, mais de tempos bem distantes – que aos 12 anos ainda éramos crianças. Ainda bem que crescemos(?). (Olha só a vida passando e todo mundo já praticamente adulto… É estranho, mas é legal). É legal ver que ainda lembro de alguns com grande freqüência. É interessante perceber que tenho sentimentos que nunca mudaram. 🙂

Beijo enorme,
Você sabe o quanto é especial.

Ariane. 🙂
22.08.08

Nem quero pensar em reação ou algo do gênero. Só fico lembrando do abraço trêmulo e das bochechinhas vermelhas dele na última vez em que nos vimos.
É foda, muito foda, não conseguir esquecer alguém. Foi foda cada vez que tentei ficar com outra pessoa, foi foda nas únicas poucas vezes em que outros lábios tocaram os meus, é foda cada vez que reclino a cabeça no travesseiro, olho no espelho, acordo de um sonho em que ele é o protagonista. É foda saber que tudo sempre foi só fantasia que o amor criou em minha cabeça.

Eu te amo, Caio. Eu te amo.
(É uma pena, às vezes, que algumas pessoas não leiam meu blog. Uma benção e uma maldição).

Enfim… Espero passar o dia numa good vibe. “Ando tão à flor da pele que qualquer beijo de novela me faz chorar…”

August Winterman

It’s a disease, they’ll never have a cure for.
It’s a disease, they’ll never have a cure.
But I’m the one whose wrong. I’m the one who cries.

I cry – I despise me.

(Dead Poetic)

Ok. ok. I cry. I despise me.
(Me preparando psicologicamente para a Bienal. Preciso de fotos decentes, de uma pauta decente, de vontade de sair daqui do sofá. E preciso URGENTEMENTE de algumas idéias).

Sorte de Hoje

Sorte de hoje: Hoje você vai ver um biscoito da sorte que nunca viu antes

Das duas uma: Ou meu orkut tirou o mês pra me sacanear, ou esse biscoito realmente vai mudar minha vida. Pra ajudar, Personare avisa: “Alerta vermelho para a sua vitalidade, Ariane: Entre os dias 21/08 (Hoje) e 13/09, o planeta Marte estará “brigando” com o Sol do seu mapa de nascimento, e este tende a ser um período de desgaste desnecessário de sua vitalidade. A sensação deste momento tende a envolver a idéia do uso excessivo de força para fazer coisas simples, algo do estilo “usar força de 1 quilo para levantar um objeto de 200 gramas”. Neste momento, convém organizar direitinho seus afazeres, caso contrário o risco é o de você se desgastar demais com uma coisa que não exigia tanto desgaste.” Claro, e eu leio isso às 3 da matina, duas horas antes de levantar pra ir pra USP. Adorável 🙂