Fuga

Eu escrevo milhões de coisas, pesquiso, viajo na maionese, mããããs… Na hora de falar de Descartes e o Jornalismo (que coisa! não sou nada filósofa, desculpem!), não consigo fugir da medonha página em branco. Pelo contrário, ela parece ir aumentando, aumentando, e aumentando!


<pontinha de esperança>
Daí eu vi que já era a terceira vez que o via online depois de seu aniversário e corri pro orkut rapidinho pra ver se ele tinha aceito meu depoimento. Aquele, do post do dia 22. E, adivinhem! Ele não aceitou. Mas também não rejeitou. Quer dizer, não é um não, mas, definitivamente, não é sim. Maaaas… toda vez que ele entra na home dele, imagino eu, ele se depara com a minha declaraçãozinha-de-amor-subentendida ali. O que não me parece de todo ruim. 🙂
</pontinha de esperança>

Um comentário em “Fuga”

  1. Não tenho muito o que dizer.
    Eu sou aquele que sempre alimenta a esperança, querendo ou não.

    Vou ser sincero, não sei se é a melhor coisa a fazer…
    Enfim, enquanto você estiver feliz, tá valendo a pena! 🙂

    Beijos, dona Ariane.

    PS: matei aula na cásper hoje. Pior que nem foi de propósito. Dormi sem querer e acabei de acordar, acredita? :O

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *