Estudo dos Clássicos?

Lá na frente ele fala algo sobre uma Poética de Aristóteles e qualquer coisa parecida com mimesis e Platão.

Ouço tudo atônita.

Ouço-o sem ouvir.

Cem pessoas desconhecidas em volta de mim.

Parece que a voz dele serve como sonífero para a minha mente já sedada.

Aquela lousa toda escrita em grego me assusta.

– Nota mental –

Aprender grego.

– /Nota mental –

Ele me lembra algum ator de filme americano.

Dáctilos? Heltíones? Theírones?

Que diferença faz? É tudo tão semelhante.

De repente, quando se enxerga uma diferença, é tão radical que até assusta.

Agora ele resolveu falar em grego.

Grego é cantado, seria lindo se eu entendesse.

A cabeça inclinada na janela move-se de leve e olha lá pra fora.

Quantas árvores, quanto frio.

Na copa próxima, um casal de passarinhos sobre seu pequeno ninho.

Folhas secas nas árvores, folhas secas no chão.

Não tenho conseguido entender nem português.

Medo… muito medo.

Uma foto sobre a mesa.

Os deuses não fazem mal aos homens!

Braços sobre a foto.

Aristóteles defendia que…

Cabeça deitando nos braços.

Lágrimas enchem os olhos.

Aristóteles que me desculpe, eu só queria a minha casa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *