Starting Point

Ok, ok. Domingo é dia do ócio – é fato (Pelo menos para mim!) – e nada pior que um domingo. Especialmente este domingo, chuvoso, sem DVD, sem pipoca, e sem vontade de sair. Tudo bem, nem é tão ruim. Acabo tendo idéias (não garanto que sejam boas, mas são idéias, vá lá), e, dependendo do grau, oportunidade de botá-las em prática. Quer coisa melhor pra se fazer que ler, estudar um pouco e botar o blog em dia? (Tá, isso foi meio nerd! Mas eu gosto, ué.) E assim foi. Corri para o computador – sem muitas idéias geniais, mas com muita boa vontade.

Ano novo, blog novo. Sei lá, estou sentindo essa necessidade de mudança desde o comecinho de janeiro, mas não tinha tido força de vontade suficiente ainda. Às vezes demora( pra gente tomar coragem e abandonar velhos costumes. É a velha segurança que a rotina traz. Mas hoje foi diferente.

(O barulho da chuva lá fora está me incomodando. Não porque eu não goste dele – eu gosto bastante! – mas porque ele me faz sentir uma prisioneira. Sim, surge aquela vontade imensa de correr para debaixo da chuva e sentir as gotas lavando a alma, mas eu estou impotente – meus medos e inseguranças de certa forma me prendem a essa cadeira, e, um a um, acabam ocupando minha cabeça com preocupações. Acho que esse é o mal das férias de quem trabalha demais, sempre que você para, acaba focando no que precisa fazer quando as férias acabarem, em tudo que ainda dá pra fazer no tempo de descanso, em como vai ser seu dia-a-dia no próximo ano. In broad daylight eu fico transformando minha vida num filme piegas, com todo meu romantismo inocente e tolo. Sim, eu sou bem incoerente.)

Bom, hoje eu fico só com a estética. Sim, falei um monte de coisas inúteis e sem sentido, como é do meu feitio. Agora é a hora de organizar a página. Até mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *