[antigos] Pensamentos

Qual o motivo para eu estar tão estúpidamente idiota? Pra eu não saber mais sequer me expressar? Não sei. Me ponho a observar, a me ver nas nuvens e em seguida me ver no chão, de cara, dolorida. Não quero acordar dos sonhos, mas eles acabam, isso é inevitável. Nunca desejei tanto ter alguém pra dizer “Eu te amo”, pra abraçar e ficar lado a lado, conversando sobre coisas bobas, mexendo no cabelo, dando colo, compartilhando carinho. Um abraço, só um abraço… E um sorriso. E meu dia estaria completo. Podem me chamar de idiota, quem temd esejos como esses? Ninguém. Acho que estou parada demais, e, esperando a vida passar vou acabar me arrependendo depois. Eu sempre fui assim, sempre fui toda carentona, sempre gostei de ouvir as pessoas, de compartilhar com elas, de amá-las. mas sempre me ferro por isso. Ultimamente eu senti como se tivesse encontrado alguém como eu, e gente, isso é tão gostoso ! Mas eu nãos ei até que ponto é bom, e por isso eu já comecei a me machucar, sozinha, sabe? Não sei se devo aceitar isso. Mas o que fazer? Nada. Continuar escrevendo, tirando fotos, cantando, tocando, sorrindo. Amando. Continuar e esperar por alguém que me ame e me compreenda, mesmo que isso demore. O que eu mais quero é fazer alguém feliz. Talvez se eu tivesse nascido bonita, ou legal… mas eu sou assim, estranha, e esse alguém vai ter que me amar assim. O teatro? Me sinto o próprio Dom Casmurro. Além disso, nunca tinha percebido, mas qualquer estranho me dá mais valor que meus supostos amigos. Foda, né? Ouvindo : Promise ? Matchbook Romance. (vício infindável.)

Transcrito de http://www.fotolog.com/dramatic_sins/17466987 – Outubro de 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *