Zumbido

“Would you believe me when I tell you / You’re the king of my heart / Please don’t deceive me when I hurt you / Just ain’t the way it seems / Can you feel my love buzz?”

Como é estranho o coração né? Uma hora está sofrendo, fazendo doer… E de repente, já nem ligamos pra isso. HAHAHAHA. Se eu não soubesse o quanto sentimentos são confusos, eu realmente diria que isso é bizarro (e não é?). O engraçado é o meu jeito de escolher: basta colocar um garoto com o qual eu sei que nunca terei a mínima chance e PUF!, é mágico, tudo acontece. Nem preciso falar que depois de algumas (muitas!) fronhas ensopadas, poesias melentas e desabafos incontrolados acaba tudo na mesma: eu sem ele, ele sem mim, um sem o outro. Quer dizer, quase sempre. Têm algumas vezes em que – como agora – a gente acaba se relacionando de tal forma que um não vive sem o outro (ou vive?), criando confiança, companheirismo, uma união incomparável. E (meeeeeeeeeeeu -.-) eu não consigo parar de pensar nisso. No como as coisas acontecem na vida. É, porque veja bem, há menos de dois meses atrás eu morreria por um Eu te amo, e ele sequer me dava atenção. Hoje eu ouço isso todos os dias. Da mesma boca que antes me fazia sentir a pior pessoa do mundo. É fato: Pessoas diferentes conseguem conviver juntas numa boa – por mais que muitas vezes evitem. Eu não tenho problemas com diferenças [haha], pelo contrário, me divirto com elas! Até porque, eu sempre sou “a diferente” em todos os grupos que costumo ‘frequentar’. Mas cansei de ver gente (diga-se: ELE) falando na minha cara: “Eu odeio menina que se veste de preto. Eu odeio menina que usa maquiagem pesada. Odeio cabelos coloridos. Odeio rock, punk, músicas pesadas. Eu odeio morenas. Eu odeio gordinhas.” […] dentre tantos outros “eu odeio” que agora não lembro pra citar. Pois é, pra você pode ser até engraçado ouvir isso de alguém, mas pra mim não era não. Afinal, eu tenho praticamente um guarda-roupa igual ao da Mônica (só que ao invés de vestidinhos vermelhos, o meu é cheio de cigarretes pretas =X) – e eu ADORO minhas roupas, tá? Além disso, eu sou a senhora-troca-a-cor-do-cabelo-segundo-o-humor (aliás, era!, porque estou ficando careca agora x-x~~) Enfim, pra resumir: EU SÓ USO PRETO (e vermelho, vai!), EU NÃO SAIO SEM O DELINEADOR SUPER FORTE NOS OLHOS, EU NÃO FICO SEM PINTAR OS CABELOS UM SÓ MÊS, EU SOU PUNK E EU SEMPRE FUI GORDINHA. Não era pra me sentir um lixo ouvindo essas coisas de um garoto por quem eu estava (supostamente) apaixonada? E eu me sentia. Quer dizer, eu sofria por saber que esse meu jeito todo fortão me impedia de mudar por ele – afinal, não troco minha personalidade por nada nem ninguém no mundo – mas eu queria que ele um dia reparasse que eu estava ali. Tá bom, tá bom. Eu fiquei aqui contando a minha história e esqueci do que estava falando. [duas horinhas depois…] Claro, claro! Lembrei onde queria chegar.(mas que tosca ¬¬’). Acho que é como no provérbio: O amor rege sem leis. Não adianta dizer NADA, não adianta escolher. As coisas acontecem como devem acontecer, não há padrões, não há manuais. Acontece. Eu fico pensando : Até que ponto tudo isso não pode ir ficando mais sério, ou o contrário, até que ponto isso não voltará a ser uma simples “colegagem” (que neologismo horroroso! mas realmente não conheço nenhum sinônimo para o que quero exprimir T-T), sem nenhum sentimento verdadeiro? E quer saber, eu nem vou encanar com isso! Não há nada melhor do que ouvir euteamos todos os dias, ou ter suas qualidades sempre sestacadas por alguém que você admira. É viver isso agora, e deixar o “e se…” pra depois. Experiência própria, já me ferrei bastante com esse tal subjuntivo…

[Eu nunca escrevo nada que realmente valha a pena o-o’ (ou faça sentido, que seja)!]

Agora vamos lá, hora de estudar.

[Segunda-feira] Energia, Eletromagnetismo, Geometria analítica, Geopolítica, Geografia brasileira e Gramática. Acho que rapidinho eu termino e volto pra cá, também. (vício?) HAHA :S

ps¹: Faltou dizer que eu não estou mais apaixonada por ele ( e que foi isso que fez a relação ficar tão boa).

ouvindo: Love Buzz – Shocking Blue

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *